top of page

Operação Suméria [CLASSIFICADO]

Atualizado: 28 de jul. de 2023

Por: H🦅Martinez


Uma investigação da Polícia Federal identificou a participação da empresa de segurança privada EloFort num esquema de trabalho escravo com uma mineradora em Japurá, interior do Amazonas. Como a empresa é formada em grande parte por ex operações especiais das forças armadas, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) interveio, tornando o inquérito policial secreto e transferindo-o para a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), cobertos pela Lei de Segurança Nacional.


Foram descobertos um campo de exploração e um alojamento em meio a floresta amazônica, além de uma aldeia indígena despovoada, sem qualquer registro na Fundação Nacional dos Povos Indígenas, sendo toda a área acessível apenas por modal aéreo e aquático.


Elementos da Força 3 e do 1°BIA, através da formação da FT Cj Op Esp Mantiqueira irão executar a ação direta para encerrar, discretamente, a atividade ilegal. Trazendo segurança para que agentes da ABIN investiguem a aldeia e procedam com interrogatórios.


CADERNETA DA ORDEM A PATRULHA


1.SITUAÇÃO

a.Forças Inimigas

Companhia de Segurança Privada EloFort.

- Equipamento ocidental de alta tecnologia: M4 Block II, M4A1, SCAR-H/SCAR-L, mas também SVD, família AK, granadas de fragmentação e fumaça.

- Sem padrão de uniforme ou equipamento.

- Todos tem OVN's, mas de qualidade inferior a nossa (PVS-7).

- Sem meios aéreos na área de operações.

- Tem meios de fuga aquáticos (3 voadeiras de 15 lugares).

- Suas Pa de Seg costumam ter de 4 a 5 homens.

- Uso massificado de capacetes fast balistic/ops core, geralmente na cor preta. - Uso massificado de coletes: identificados 3MBAV Beges e 2 genéricos sem proteção balística.

- Inimigo costuma estar distraído e longe de seus postos de vigia durante o dia, mas atento a noite.

- Pa de Seg acontecem exclusivamente de dia.


b.Forças Amigas

FT Cj Op Esp Mantiqueira

∟ 1° DOFesp Harpia/1°BIA e elementos do 2° DOpEsp Urutu/1°BIA (jogadores).

∟ 1°DOFesp/Força 3 (ficcional).

∟ 4° Dst Op Sv Omega /1°BIA (ficcional). ∟ Elementos do 1° BAvEx, codinome SABRE-1 (IA).

∟ Tur Coor Ctrl formada por elementos da Força 3 (ficcional).

∟ Departamento de Campo da ABIN (ficcional).


c. Meios recebidos e retirados

N/A


d. Área de Operações e Condições Meteorológicas

Conclusão a respeito das consequências para a nossa Pa:

- ICMN - FCVN – não haverá luz já que anoitece às 18:30h.

- Ventos (Dir, Vel e quadrante) – favorável ao Emp de fumígenos.

- Chuva – não há previsão de chuvas.

- Temperatura – a temperatura permanecerá estável em torno de 20ºC.

- Terreno – floresta fechada, recomenda-se uso de golas estendidas no braço inteiro e luvas de tecido leve, por não ser uma caminhada muito longa não precisa levar bonnie.


2. MISSÃO

Resgatar trabalhadores e neutralizar guarnição do alojamento e campo de exploração, mantendo a segurança da localidade até a chegada do Departamento de Campo da ABIN.


3. EXECUÇÃO

a. Conceito da Operação

No começo da manhã (6000h) o DOFEsp Harpia, completado por elementos do DOpEsp Urutu, será transportado numa aeronave H-36 Caracal (codinome SABRE-1) até a ZPH Marabá, se deslocando a pé até um PRPO (codinome Toledo) a ser estabelecido a 300m/SE da área de exploração (codinome Álamo), executando assalto misto: contínuo e sigilo. Com Álamo seguro, será estabelecido um alto guardado, com metade da fração partindo para um reconhecimento na aldeia abandonada (codinome Maré), posteriormente sendo enviada três Pa Rec por duplas de esclarecedores nas direções escolhidas na hora pelo Cmdt Dst, com alcance de 300m; procedimento será mantido até a chegada dos agentes da ABIN, por modal aéreo e meios próprios.


Ao mesmo tempo, o 1°DOFesp/Força 3 (ficcional) irá dominar o alojamento dos trabalhadores (codinome Olimpo), em outra AOp a 5km seguindo o rio 4km/N, reunindo os trabalhadores, PG e EEIs, aguardando orientações da Tur Coor Ctr, codinome Caos.


Duas Eqp do 4° Dst Op Sv Omega /1°BIA (ficcional), codinome OMEGA-1 e OMEGA-2 irão bloquear ambas as direções do rio, mantendo nos bloqueios antenas direcionais para radiotelefonia e PCF.

b. Ordens aos Elm Subordinados

c. Prescrições Diversas

1) Hora do dispositivo pronto para início do deslocamento

N/A


2) Deslocamento até o PRPO

a) Hora de Partida

N/A


b) Itinerário de ida (conforme quadro auxiliar de navegação)

N/A


c) Meios, processos de deslocamento e medidas de coordenação e controle nos

diversos trechos.

Voz em volume "menos da metade", comandos a Pa emitidos tanto pelo Cmdt Pa quanto pelo Ponta devem ser obrigatoriamente via radiotelefonia.


d) Formação inicial e ordem de movimento.

Formação coluna compacta, com escl a mais ou menos 5m de distancia da Pa; intervalo de 2m entre cada Eqp, com Cmdt Pa integrado na que achar melhor no momento.

e) Planos de embarque e carregamento (SFC).

N/A


f) Prováveis pontos de reunião.

N/A


g) Segurança nos deslocamentos e altos.

Se HARPIA = em torno de 9 homens, alto guardado será em formação atual usando abrigos e cobertas.

Se HARPIA = em torno de 4 homens, alto guardado será em 360 usando abrigos e cobertas.


h) Passagem pelos postos avançados amigos.

N/A


i) Ocupação do PRPO.

N/A


3) Ação no objetivo

a) Reconhecimento aproximado do objetivo

Terreno impede, sendo plano e obstruído (floresta fechada), se houver brechas atentar-se a distância do objetivo e qtd de militares envolvidos no rec, para evitar ser detectado prematuramente. Idealmente deve ser feito por um único escl, sendo este o mais capaz dos menos valiosos.


b) Tomada do dispositivo

Terreno e EEI impedem planejamento detalhado, a princípio será assalto misto: continuo e sigilo, sendo este último essencial já que a P Ass em floresta costuma estar a menos de 100m do inimigo.


c) Ação no objetivo

Equilibrar volume de fogo e assertividade: teremos grande presença de cobertas mas também de civis.

Buscar aproximar-se o máximo possível do obj antes de iniciar fogo, pela direção que se mostrar mais vazia no rec aproximado, em linha e sem guarda as 6h, para maximizar poder de combate momentaneamente.


Após assalto deve:

- Estabelecer segurança no obj.

- Concentrar civis e PG, com padioleiro fazendo APH se preciso.

- Relatório BEM.

- Enviar de Escl em 3 Pa Rec conforme avaliação do Cmdt Pa.


d) Retraimento para o PRPO

A Pa deverá executar o assalto carregando todo o equipamento de combate, não necessitando retrair a PRPO.


e) Reorganização no PRPO

N/A


4) Regresso

a) Hora de regresso.

N/A


b) Itinerário de regresso.

N/A


c) Meios, processos de deslocamento e medidas de coordenação e controle nos

diversos trechos.

A Tur Coor Ctr, codinome Caos, irá executar suas funções por radiotelefonia a partir de SABRE-1, entrando na AOp apenas se necessário: informando via rádio cada Gp e Eqp qual modal/rota ext e quando.


d) Formação inicial e ordem de movimento.

N/A


e) Planos de embarque e carregamento (SFC).

N/A


f) Prováveis pontos de reunião.

N/A


g) Segurança nos deslocamentos e altos.

N/A


h) Passagem pelos postos avançados amigos.

Usar senha e contrassenha do IECom Elt por voz.


5) Outras Prescrições

a) Situações de contingência (nas diversas fases da operação).

Se houver quebra de sigilo, operação deve ser mantida.

Se houver 25% de baixas na Pa, missão será cancelada e Pa deve se mover para fora da AOp.


b) Ações em áreas perigosas e pontos críticos.

Se detectar o inimigo e não alerta-lo:

-voz no mínimo, comunicação via rádio apenas;

- usar stance mais próximo do chão possivel;

- use o pescoço para olhar para os lados, não o corpo todo.


c) Ações em contato com o inimigo (TAI).

A TAI será escolhida na hora baseada na avaliação rápida do Cmdt Pa do poder de combate do inimigo, emitindo obrigatoriamente por via radiofônica a TAI a se adotar, usando mensageiro se rádio ficar indisponível.

d) Reorganização após dispersão.

Patrulha deve se reorganizar em posição segura marcada em carta mais próxima, idealmente PRPO.


e) Tratamentos com prisioneiro de guerra, mortos e feridos inimigos.

N/A


f) Conduta com mortos e feridos amigos.

Se houver feridos = padioleiro não vai até você, você vai até ele.

Se houver mortos = usar saco de mortuário e desloca-lo até algum ponto marcado em carta.


g) Conduta ao cair prisioneiro de guerra.

N/A


h) Conduta para pernoites (base de patrulha, área de reunião e área de reunião

clandestina).

N/A


i) Medidas especiais de segurança.

N/A


j) Destino do material especial.

N/A


l) Rodízio de material pesado.

N/A


m) Contato com elemento amigo.

Usar senha e contrassenha do IECom Elt por voz.


n) Ligação com outras patrulhas.

Usar senha e contrassenha do IECom Elt por voz.


o) Prioridades nos trabalhos de organização do terreno.

N/A


p) Linhas de controle.

Já expostas na carta em 'conceito da operação'.


q) Apoio de fogo (onde, até quando e como solicitar).

Indisponível.


r) Documentos a serem conduzidos.

N/A


s) Procedimentos para ensaios e inspeções.

N/A


t) Elementos essenciais de inteligência (EEI).

Carta com EEI obtidos após O Prep (padrão de patrulha não obtido).

Fotos aéreas usadas para complementar confecção da carta EEI.


Foto de um membro da EloFort atuando legalmente em proteção a instalações da Petrobras.

u) Estória-cobertura coletiva.

N/A


v) Conduta com civis.

N/A


x) Azimutes de fuga.

N/A


4. LOGÍSTICA

Montados num arsenal limitado na BOE/Respawn.

Não será simulado fome e sede.

Kits não devem ultrapassar os 25kg.

Não serão levadas cartas e bússolas para AOp: orientação/navegação será pelo GPS padrão Galaxy S20 Tactical Edition, obrigatoriamente, carta será usada apenas na BOE para marcar POREOF.


5. COMANDO E COMUNICAÇÕES

a. Comunicações (IECom Elt)

1) Retificar ou Ratificar e checar.

2) Senha, contra-senha e sinal de reconhecimento.

FIESTA / NARIZ

Deve ser usada fumígene verde para indicar posição de unidade amiga.


3) Frequências.

Passado na hora, conforme contingente disponível, seguindo a regra de nunca haver mais de 4 estações por frequência.


4) Sinal para a mudança.

Será mantido o mesmo IECom Elt durante toda a patrulha.


5) Indicativos-rádio.

Codinomes já exibidos em tabela 'Ordem a elementos subordinados'.


6) Autenticação

N/A


7) Rádio em silêncio até ação no objetivo e livre após a quebra do sigilo

Negado, comunicação livre o tempo todo, atentar-se sempre a última ordem de volume da voz.


8) Processo de codificação

N/A


b. Comando - Localização Cmt e SCmt.

No meio da formação sempre, separados por um homem. Ao assumir comando, pegar se possível rádio de longa distância AN/PRC 152.

- Cadeia de comando = Neres, Martinez, Detemann, Simões, Pedroso, Harpia mais antigo, Urutu mais antigo.


ESTE DOCUMENTO PODE SER ALTERADO A QUALQUER MOMENTO.

73 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page